Ontem, o Comitê de Política Monetária – COPOM reduziu a taxa básica de juros em um ponto percentual, de 10,25% para 9,25% ao ano, por unanimidade.

Bom sinal para a nossa fragilizada economia! Afinal, há uma tendência de que os recursos financeiros, hoje na mão de poucos, sejam melhor distribuídos. Ou seja, uma renda mais igualitária.

No Brasil, os juros são estratosféricos! E o interessante, é que os grandes Bancos brasileiros, que também operam em outros mercados na América do Sul, cobram juros infinitamente menores dos que são praticados por aqui.

Porém, esses juros pujantes servem para o financiamento da máquina pública. Não é justo para a sociedade bancar isso, além da elevada carga tributária.

Mas as verdadeiras mudanças devem ser mais estruturantes. Não devemos perder o foco das reais necessidades. Uma reforma tributária ampla de forma a transformar o sistema mais justo.

Isso sem deixar de lado outras reformas, como a da Previdência Social, que está completamente desconfigurada. Mas carente de uma participação da sociedade de maneira mais efetiva.

Enfim, as notícias parecem ser boas. Mas, sem dúvida, ainda muito longe do que realmente é necessário.

Esse país é grande e forte!